logo

Politicas de privacidade

Artigos
logo

A psilocibina é considerada mais eficaz do que os remédios contra a depressão

Os compostos de cogumelos mágicos (Psilocibina e Psilocina) superaram os medicamentos padrão para depressão (SSRI, Escitalopram) em um ensaio clínico recente publicado no New England Journal of Medicine. Os novos desenvolvimentos sugerem que drogas psicodélicas como a psilocibina podem ser uma cura potencial para a depressão em um futuro próximo. Esta seria uma notícia bem-vinda para milhões de pessoas que sofrem de depressão grave e resistente ao tratamento.

Resumo:

a) A psilocibina é mais rápida do que os inibidores seletivos de recaptação de serotonina (SSRI) do mercado.

b) O Cogumelo Mágico fornece uma visão melhor sobre a depressão e tem melhores efeitos secundários.

c) Efeitos colaterais considerados semelhantes em ambas as drogas (SSRI e Psilocibina) do estudo. (na dosagem adequada).

d) A psilocibina pode ser usada como um medicamento potencial para o tratamento da depressão, no futuro, como monoterapia ou junto com outros antidepressivos.

incenso faz mal

Em 15 de abril de 2021 o The New England Journal Of Medicine, jornal de medicina da nova inglaterra, publicou um artigo inovador de pesquisa sobre cogumelos mágicos.

incenso para que serve

SSRIS (Inibidor seletivo de recaptação de serotonina) são drogas de primeira linha para o combate para o transtorno depressivo, mas foi totalmente derrotado pela psilocibina, um composto encontrado nos cogumelos mágicos, será que os cogumelos mágicos podem curar a depressão?

Psilocibina Vs Escitalopram

A psilocibina (cogumelos psicodélicos) competiu contra escitalopram, um inibidor seletivo da recaptação da serotonina bem estabelecido em um ensaio clínico de pequena escala.

incenso para que serve

Os estudos tiveram uma duração de 6 meses comparando a eficácia e rapidez nos resultados contra a depressão.

Este ensaio mostrou que a psilocibina agiu mais rápido, as pessoas saíram da depressão mais rapidamente com a ajuda da psilocibina, Mas com o tempo a lacuna diminuiu, pois os dois grupos de medicamentos alcançaram o efeito terapêutico máximo.

Mas podemos comprovar que com a psilocibina os resultados foram alcançados de forma mais ágil.

Com depressão severa, muitas vezes os pacientes não entendem o porquê estão deprimidos, eles não tem uma visão completa da doença, descobriu se que os compostos de cogumelos mágicos finalmente deram a estes pacientes a visão para entender porque eles estão deprimidos.

Metade do grupo recebeu escitalopram e a outra metade recebeu psilocibina.

Em vez de dar psilocibina todos os dias, foram dadas cápsulas de placebo entre os dias de dosagem, o insight foi maior nos dias em que o grupo recebeu as cápsulas de psilocibina real em comparação com os dias em que recebeu a cápsula de placebo.

As experiências profundas

Sou um tanto cético, mas devo ser imparcial nesta discussão. Gostando dos cogumelos mágicos ou não, usuários psicodélicos relataram experiências profundamente comoventes, como encontrar entidades divinas ou a realidade final em uma experiência de morte consciente ou quase morte como muitos os chamam.

Se você for uma pessoa religiosa, pode imaginar que a psilocibina é como uma espécie de chave que abre um portão para o paraíso.

Se você for ateu, provavelmente irá acreditar nisso quando tiver a própria experiência com os efeitos do cogumelo mágico.

No entanto, estudos realizados em institutos de renome como a universidade de Johns Hopkins, descobriram que essas experiências místicas têm vantagens, como melhorar o bem-estar mental dos pacientes, ajudando as pessoas a pararem de fumar e ajudando pacientes portadores de câncer especificamente com a dor e depressão.

Efeitos auxiliares

incenso faz mal

A depressão é um distúrbio complexo, não se trata apenas dos sintomas como a tristeza e a incapacidade de sentir prazer, a depressão está associada a efeitos auxiliares, como não se sentir bem, funções sociais reduzidas e muita dificuldade em expressar emoções.

Embora os SSRIS (Inibidor seletivo de recaptação de serotonina) usuais tenham sido de alguma forma úteis para estes sintomas, foi mostrado que os compostos de cogumelos mágicos eram muito superiores em resultados auxiliares.

Mecanismo de ação

A psilocibina é uma droga psicoativa que é rapidamente convertida no corpo em um composto chamado psilocina, a psilocina ativa parcialmente os receptores de serotonina do cérebro.

Os receptores de serotonina são encontrados em muitas partes do cérebro, incluindo o córtex cerebral.

  • Humor
  • Apetite sexual
  • Motivação
Os efeitos dos cogumelos mágicos
incenso para que serve, faz-mal

Os efeitos colaterais dos cogumelos magicos (psilocybe cubensis) são conhecidos por causar alucinações visuais e auditivas.

Seu cérebro fará você ouvir sons mesmo quando os ouvidos não captam nenhum ruído, o cérebro criará imagens vívidas mesmo quando os olhos estiverem fechados, pode tornar o tempo mais lento, alterando sua percepção do tempo, mas estes efeitos podem ser minimizados pela dose certa, não acredito que será um grande problema, pois os cogumelos magicos psilocybe cubensis não são conhecidos por causar vício.

As descobertas dessa pesquisa são perturbadoras, pense nisso, a psilocibina é tão eficaz quantos dos antidepressivos padrão em desfechos primários, porém, é mais rápido, fornece uma visão melhor e tem melhores resultados auxiliares e os efeitos adversos foram considerados semelhantes em ambos os grupos, podemos substituir ssris por cogumelos mágicos.

Fonte: https://youtu.be/BLTT4QfD97M

Os incensos vem sendo utilizado há anos por diversas crenças, religiões e pessoas descompromissadas com qualquer tipo de credo, então seu real sentido para uso pode ter ficado confuso com o passar do tempo, mas é importante lembrar para que serve o incenso.

Hoje em dia são bastante utilizados em rituais com ayahuasca e cerimonias com cogumelos mágicos, no geral adicionado ao carrinho junto na hora de comprar cogumelos magicos.

A palavra incenso tem origem no latim “incendere”, que significa “queimar”. O Incenso cone ou em Bastão conhecido também como “Smudge Stick”, é um incenso natural nascido nas tradições Xamânicas Norte Americanas e difundida por todo o mundo.

Há relatos históricos de que civilizações muito antigas como os Egípcios e os Hindus já os utilizavam em seus rituais.

São misturas de ervas e aromas, ou seja, misturas de componentes alquímicos que possuem a função básica de elevar espiritualmente, tanto o ambiente como o próprio ser, servindo como agente mediúnico das intenções humanas ao Astral.

São utilizadas nesses bastões, ervas como a Salvia branca e Cedro facilmente encontradas na América do Norte. No entanto esse tipo de bastão pode ser feito com as mais variadas ervas que pudermos encontrar, como a lavanda, malva, melissa, capim santo, sálvia comum, arruda, calêndula, alecrim, manjericão, etc.

Os incensos naturais são muito cheirosos, ainda mais que os comuns e são os ótimos incenso para que serve melhor as pessoas que sofrem de algum tipo de alergia dos incensos comuns que contém quimicos.

Como utilizar o incenso natural

Para manipular corretamente o incenso, devemos tomar certos cuidados:

  • Acender o incenso sempre com uma intenção clara, podendo ser um puro agradecimento, prece, meditação ou o que mais tiver em mente;
  • Nunca apagar o incenso com sopros;
  • Tentar sempre escolher a fragrância ou mistura conciliando com o que você está buscando.
  • Acenda com fogo contínuo e apague fazendo movimentos leves pelo ar.
  • Limpeza energética com incenso e cogumelo mágico

  • Para limpezas energéticas de ambientes, primeiro faça uma boa limpeza e depois caminhe pelo ambiente defumando o incenso e mentalizando coisas boas, ideal para quem faz uso de microdosagem com psilocybe cubensis trazendo novas vibrações e bons sentimentos, renovando o ar, pois o incenso representa o elemento ar, portanto não esqueca de adicionar junto a sua sacola quando cogumelo alucinógeno comprar, existem várias lojas místiscas online que disponíbilizam os dois produtos.

Qual significado da fumaça do incenso natural?

A fumaça do Incenso é o elemento espiritual etéreo ou o plano fino espiritual que está no ar, por onde todas as energias, pensamentos e informações espirituais transitam para chegar em seus devidos lugares.

incenso faz mal?

Existe muita dúvida sobre incensos, alguns ingredientes como cola, pólvoras, salitre são comuns em incensos industrializados, mas afinal incenso faz mal?

Sim, com certeza incenso faz mal! Mas por um motivo muito simples; seus ingrediente. Expansores de aromas, conservantes e outros ingredientes podem ser nocivos à saúde, uma opção simples e segura são os incensos naturais.

O incenso natural além de ser mais cheiroso, ele também tem uma queima mais longa em comparação ao industrializado. Além disso, não contém colas, pólvoras, salitre, fixadores, expansores de aromas e outros ingredientes nocivos à saúde.

incenso natural benefícios

incenso para que serve A fumaça criada por eles é capaz de proporcionar diferentes sentimentos, de purificar, proteger ambientes e objetos durante a consagração e muito mais.

O principal benefício atribuído ao incenso natural é a purificação energética do ambiente, além da atração de boas energias. Ele também pode facilitar as práticas de meditação e Yoga, pois colabora com a conexão – relaxando a mente, promovendo o foco e diminuindo a ansiedade.

Principais fragrâncias para incenso:
  • Incenso natural de Açafrão - Catalizador de energias, intensificador de efeito dos outros incensos;
  • Incenso natural de Absinto - Estimulante geral para cansaço físico;
  • Incenso natural de Alecrim - Traz saúde, sucesso nos negócios e acalma. Atração de energias e proteção em geral, banimento;
  • Incenso natural de Alfazema - Acalma e limpa o ambiente. Harmonia nos negócios e nos relacionamentos;
  • Incenso natural de Almíscar - Afrodisíaco, sensualidade e atração. Paixão, sensualidade e virilidade;
  • Incenso natural de Amor Perfeito -Purifica ambientes, ajuda nos estudos, amor e elevação nas vibrações;
  • Incenso natural de Angélica -Espiritualidade, Amor universal;
  • Incenso natural de Anis - Para despertar o amor interno, para despertar forças;
  • Incenso natural de Arruda - Proteção e limpa ambientes carregados negativamente. Excelente contra inveja e mau olhado, proteção, desobstrução dos chakras;
  • Incenso natural de Bálsamo - Acalma e equilibra energia;
  • Incenso natural de Bálsamo rosa - Acalma, purifica ambientes, ajuda nos estudos, amor e eleva as vibrações psíquicas;
  • Incenso natural de Benjoin - Exorcismo e espiritualidade;
  • Incenso natural de Camomila - Acalma, purifica ambientes, ajuda nos estudos e desenvolvimento psíquico;
  • Incenso natural de Canela - Estimulante, atrai prosperidade, bens materiais, acalma e afrodisíaco feminino. Atrai dinheiro e é antidepressivo;
  • Incenso natural de Cânfora - Limpa ambientes carregados negativamente, desenvolvimento psíquico e acalma;
  • Incenso natural de Capim limão (e gengibre) - Corta todo o mal e as vibrações negativas;
  • Incenso natural de Côco - Estimula o bem estar;
  • Incenso natural de Cedro - Purifica o ambiente, despertar forças e desenvolvimento psíquico;
  • Incenso natural de Cravo - Excitante, libera alegria, afrodisíaco e expectorante. Energizante!;
  • Incenso natural de Cravo-da-índia - Purifica ambientes, desperta forças, espiritualidade, sensualidade e atração;
  • Incenso natural de Egypcio - Purifica ambientes e amor;
  • Incenso natural de Erva-doce - Poderoso calmante;
  • Incenso natural de Espiritual - Purifica ambientes, desperta forças e espiritualidade;
  • Incenso natural de Jasmin - Bem estar e relaxamento;
  • Incenso natural de Mirra - Limpeza energética profunda, concentração, harmonia, e conexão espiritual;
  • Incenso natural de Patchouli - Meditação, intuição e círculo de proteção (nenhuma energia boa sai e nenhuma energia ruim entra);
  • Incenso natural de Pimenta(qualquer tipo) - Proteção pessoal, combate energias negativas, limpeza de ambientes;
  • Incenso natural de Quéfron - Eleva as vibrações e desenvolvimento psíquico;
  • Incenso natural de Romanus - Para despertar forças, desenvolvimento psíquico;
  • Incenso natural de Rosa - Purifica ambientes, ajuda nos estudos, espiritualidade, amor, elevação das vibrações e desenvolvimento psíquico;
  • Incenso natural de Rosa branca - Purifica os sentimentos e acalma;
  • Incenso natural de Rosa Musgo - Rejuvenesce e amacia a pele;
  • Incenso natural de Rosário - Para despertar forças e desenvolvimento psíquico;
  • Incenso natural de Sândalo - Equilíbrio mental, acalma, purifica ambientes, ajuda nos estudos, amor, espiritualidade, elevação das vibrações, sensualidade e atração;
  • Incenso natural de Templum - Ajuda nos estudos, espiritualidade, eleva as vibrações e desenvolvimento psíquico;
  • Incenso natural de Verbena - Ativa a sensualidade;
  • Incenso natural de Violeta - Desperta a auto-confiança e afrodisíaco;
  • Incenso natural de Vetiver - Ativa a sensualidade e comando;
  • Incenso natural de Ylang Ylang - Ativa a sensualidade;
  • Por fim, os incensos que contém citronela são boas pedidas também para afastar mosquitos e outros insetos.

Precauções

Atenção: incensos industrializados e muito baratos podem causar alergias respiratórias. No entanto, podem apresentar substâncias cancerígenas em sua composição, como benzeno e formol, sendo tóxicos à saúde

Obs. o Incenso natural não faz mal a saúde, visto que eles não possuem químicos e nem produtos tóxicos, são extraídos da natureza e utilizado á séculos por diversas culturas.

Psilocibina: Usos Médicos e estudos clínicos

cogumelos magicos

Usada há séculos em rituais, a psilocibina é uma substância encontrada nos cogumelos psilocybe cubensis, a medicina moderna relatou recentemente em estudos clínicos um avanço histórico.

Um relatório foi publicado no Journal of Psychopharmacology detalhando dois pequenos estudos que observaram que o ingrediente em "cogumelos mágicos" - psilocibina - pode reverter a sensação de "angústia existencial" que os pacientes geralmente sentem em estados críticos de depressão, estresse pós traumático, ansiedade e após serem tratados contra o câncer, dizem que os cogumelos têm propriedades que reduzem os efeitos colaterais das quimio e radioterapias, confia aqui psilocibina onde encontrar.

O câncer pode deixar os pacientes com esse tipo de transtorno psiquiátrico, sentindo que a vida não tem sentido. Tratamentos típicos, como antidepressivos, podem não ser eficazes para o tratamento. No entanto, o uso de uma única dose de psilocibina sintética reverteu a angústia sentida pelos pacientes e foi um efeito de longo prazo. Alguns pacientes com câncer avançado descreveram o efeito da droga como se sentissem leves, seguros e tranquilos.

psilocibina

Foram concluídos dois estudos adicionais usando psilocibina: um na Universidade de Nova York (NYU) Langone Medical Center em Nova York e um na Johns Hopkins Medical School em Baltimore. Para ambos os estudos, monitores treinados estiveram com os pacientes enquanto experimentavam os efeitos da droga, o que pode levar a alucinações.

  • No estudo da Johns Hopkins, os pesquisadores trataram 51 adultos com câncer avançado com uma pequena dose de psilocibina seguida cinco semanas depois com uma dose mais alta, com acompanhamento de 6 meses. Assim como no estudo da NYU, cerca de 80% dos participantes experimentaram alívio clinicamente significativo de sua ansiedade e depressão que durou até seis meses.
  • No estudo da NYU , 29 pacientes com câncer avançado receberam uma dose única de psilocibina ou a vitamina B conhecida como niacina, ambas em conjunto com psicoterapia. Após sete semanas, os pacientes trocaram de tratamento (um estudo cruzado). Em 60% a 80% dos pacientes que receberam psilocibina, um alívio da angústia ocorreu rapidamente e durou mais de seis meses. O efeito a longo prazo foi avaliado por pesquisadores que analisaram os resultados dos testes para depressão e ansiedade.

No Center for Psychedelic and Consciousness Research da Johns Hopkins University em Baltimore, Maryland, os pesquisadores estão se concentrando em como os psicodélicos afetam o comportamento, o humor, a cognição, a função cerebral e os marcadores biológicos de saúde. Este grupo de pesquisa foi o primeiro a obter a aprovação regulatória dos EUA para continuar a pesquisa com psicodélicos em voluntários saudáveis.

Estudos adicionais com psilocibina são esperados, e um está comparando o produto químico com um antidepressivo tradicional líder.

Conforme relatado pela Johns Hopkins, os próximos estudos avaliarão o uso da psilocibina como uma nova terapia para dependência de opióides, doença de Alzheimer, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), síndrome da doença de Lyme pós-tratamento (anteriormente conhecida como doença de Lyme crônica), anorexia nervosa e uso de álcool em pessoas com depressão maior . Espera-se um foco na medicina de precisão adaptada ao paciente individual.

Em novembro de 2019, o FDA designou a terapia com psilocibina como uma " terapia inovadora " para a depressão para o Instituto Usona, uma ação que a agência usa para acelerar o desenvolvimento e a revisão de medicamentos em investigação. Espera-se que as terapias inovadoras forneçam uma grande melhoria em relação aos agentes atualmente disponíveis para uma necessidade médica não atendida.

O ensaio clínico de psilocibina US PSIL201 da Usona é um estudo de Fase 2 que avalia a psilocibina como um tratamento para o Transtorno Depressivo Maior (MDD). Esta pesquisa usará um desenho de estudo randomizado, duplo-cego e controlado por placebo para medir os efeitos antidepressivos de uma dose única de psilocibina em 80 pacientes entre 21 e 65 anos de idade com MDD. De acordo com o fabricante, "a psilocibina oferece potencialmente um novo paradigma no qual um composto de ação curta causa alterações profundas na consciência e pode permitir a remissão de longo prazo dos sintomas depressivos".

Se aprovado pela FDA, a psilocibina teria que ser reclassificada pela DEA para estar disponível para os pacientes; é atualmente classificado como uma droga de Classe I.

A crescente tendência de bem-estar da microdosagem de cogumelos com psilocibina

Em meio a um esforço para legalizar os chamados "cogumelos mágicos" na Califórnia, a pesquisa acelera seus benefícios à saúde: "Estamos falando de um evento não psicodélico. O que você está recebendo é principalmente uma abertura da mente", normalmente realizados com cogumelos psilocybe cubensis, os cogumelos mágicos, no Brasil confira onde cogumelo cubensis comprar.

A crescente tendência de bem-estar da microdosagem de cogumelos com psilocibina

Nos últimos anos, a aceitação da microdosagem de fungos psicodélicos como tratamento médico cresceu lenta mas constantemente – na grande mídia americana, em laboratórios oficiais, entre alguns políticos e até em lares.

A microdosagem de cogumelos mágicos ou psicodélicos é uma prática que envolve tomar geralmente um décimo de uma dose padrão de “viagem” (por cápsula, conta-gotas ou spray nasal), para que os sentidos não sejam afetados ao ponto de alucinação total, mas a percepção se aguça e a serotonina é aumentada.

Documentários e séries de TV como Fantastic Fungi , da Netflix, e Nine Perfect Strangers , do Hulu, ajudaram a preparar o terreno para uma conversa mais aberta sobre cogumelos; ambos desmistificam e exploram o poder curativo do fungo portador de esporos e ligado ao solo.

A indústria de bem-estar de hoje está adotando os cogumelos alucinógenos como outra forma de medicina da natureza, colocando capital real e pesquisa acadêmica por trás disso. Um pequeno estudo da Johns Hopkins , por exemplo, descobriu em 2020 que os tratamentos com psilocibina ajudaram a aliviar os sintomas de depressão grave.

A Silo Wellness , uma empresa legal de cogumelos psicodélicos e funcionais fundada em 2018 em Oregon (o único estado dos EUA a legalizar os cogumelos psicodélicos). Silo hospeda retiros de uma semana (a partir de US$ 3.195) na Jamaica (onde a psilocibina nunca foi ilegal), permitindo que os clientes experimentem os benefícios dos psicodélicos em um ambiente controlado.

A crescente tendência de bem-estar da microdosagem de cogumelos com psilocibina

Parte da missão do Silo Wellness é incorporar a sabedoria e os rituais tradicionais em torno dos psicodélicos e compartilhá-los com as pessoas de maneira segura e ética. Explica o principal conselheiro científico de Silo, Dr. Parag Bhatt, neurofarmacologista e neurocientista cognitivo e coordenador de admissão dos retiros de Silo: “Para microdosagem, é sub-perceptual; estamos falando de um evento não psicodélico, onde você não está vendo as alucinações.

O que você está recebendo é principalmente acender as luzes e abrir a mente.” Bhatt acrescenta que os psicodélicos “têm uma estrutura química que imita a da serotonina”. ( Com a família de Bob Marley, Silo também lançou Marley One , uma linha de produtos de tinturas feitas com cogumelos não alucinógenos, como a juba de leão, que supostamente traz benefícios à saúde.)

De acordo com o Dr. Bhatt, as pessoas decidem fazer microdoses por uma série de razões: “Você tem o seu Tipo Como que quer essa vantagem e quer ficar no topo das coisas, você tem indivíduos que estão tentando manter sua saúde mental, e você tem indivíduos que estão apenas tentando ver se podem expandir sua mente”.

Na terapia de modificação comportamental, diz-se que a adição de psicodélicos a um regime terapêutico ajuda a diminuir as barreiras cognitivas que os indivíduos que lidam com coisas como ansiedade e depressão mantêm ao longo do tratamento – e diminuir esses limites ajuda a redistribuir o fluxo sanguíneo no cérebro, o que permite que ele flua longe de “zonas de alto impacto emocional”, diz Bhatt.

Psychedelic City - Uma série com direito a metaverso, NFT’s e criptomoedas

'Cogumelos! Xamãs! LSD Kosher! Por que Los Angeles está de repente viajando? É a manchete no topo de uma reportagem de capa da Los Angeles Magazine escrita pelo jornalista Peter Kiefer com base em sua investigação da mania atual da cidade em todas as coisas que alteram a mente.

psychedelic city

Stone Village, de Scott Steindorff, adquiriu os direitos da matéria de capa de Peter Kiefer com planos ambiciosos para 'Psychedelic City', que incluem uma série de TV e uma plataforma metaverse focada em arte criptográfica, digital e imersiva, componentes musicais e terapias experimentais.

“Los Angeles está atualmente nas garras de um fervor psicodélico não visto desde que Jim Morrison caminhou pelo calçadão de Venice Beach na década de 1960.

Todo fim de semana, dezenas, possivelmente centenas, de cerimônias de ayahuasca acontecem nas colinas, vales e shoppings do sul da Califórnia”, escreve Kiefer no artigo que apresenta entrevistas com especialistas em tendências, ao mesmo tempo em que detalha a história das drogas, a cultura e como se tornou uma tendência em primeiro lugar.

“Tantas pessoas estão agora experimentando a ayahuasca (uma bebida psicoativa usada há muito tempo por tribos indígenas da América do Sul como parte da cura espiritual cerimonial) que existe a preocupação de que os ingredientes necessários para criar a poção estejam sendo colhidos em excesso. Mas não é apenas ayahuasca – existem eventos para psilocibina, DMT, ibogaína, LSD e MDMA.”

A matéria de capa está agora em desenvolvimento como uma série de televisão pequena (e mais), já que o produtor veterano Scott Steindorff e sua Stone Village Television adquiriram os direitos em uma situação competitiva, foi anunciado em novembro de 2021.

Em um comunicado, Steindorff confirmou que adquiriu os direitos de cinema e TV em nome da empresa irmã de Stone Village, Higher Frequency Media.

Steindorff deve ser o produtor executivo do projeto, intitulado Psychedelic City , em parceria com Zhara Astra e Dylan Russell, com Astra também assumindo o crédito de produtor.

Mas talvez mais interessante do que os créditos seja o que esses nomes planejam fazer com as reportagens de Kiefer. Mantendo-se fiel aos seus materiais de origem, a Higher Frequency Media, especializada em arte digital, NFTs e projetos imersivos, conduzirá projetos auxiliares baseados em Psychedelic City, incluindo a criação de uma plataforma metaverse que se concentra em cripto, arte digital e imersiva, componentes musicais e terapias experimentais.

Além disso, o metaverso de Psychedelic City está sendo desenvolvido visando um espaço completo de realidade virtual que permitirá que as pessoas interajam com um ambiente gerado por computador e outros usuários.

Muito disso exigirá um estúdio e/ou outros parceiros e diz-se que Steindorff está despertando interesse à medida que avança no desenvolvimento.

“O show será uma combinação de Vale do Silício com Limitless ”, diz Steindorff em um comunicado referindo-se à série de comédia da HBO e ao filme de 2011 estrelado por Bradley Cooper e Robert DeNiro. “Estamos criando um show que terá o novo mundo mais expansivo, que estimulará, entreterá e informará as pessoas nos níveis mais profundos. É como uma experiência expandida ao vivo do Burning Man e o próximo nível da Station Eleven – em relação à sua busca pela arte.”

Russel acrescentou: “É fascinante testemunhar e contar a história sobre como a cultura psicodélica está agora se cruzando com a psicologia, a cultura digital e até as finanças – para evoluí-los de uma maneira que nunca vimos antes. E LA está se tornando o epicentro disso.”

Station Eleven refere-se à próxima série da HBO de Stone Village. Estreando em 16 de dezembro, essa série é descrita como uma saga pós-apocalíptica que abrange várias linhas do tempo, enquanto entrelaça as histórias de sobreviventes de uma gripe devastadora, enquanto tentam reconstruir e reimaginar o mundo.

Escrito por Patrick Somerville, dirigido por Hiro Murai e Jeremy Podeswa, é estrelado por Mackenzie Davis, Himesh Patel e Gael Garcia Bernal.

Quanto a Kiefer, que cobriu tudo, desde política e cultura até imóveis e entretenimento para o The New York Times, The Hollywood Reporter, The New York Sun, LA Mag e outros veículos, ele diz que está entusiasmado por colaborar com o Stone Village equipe na adaptação.

“O movimento em torno dos psicodélicos toca em temas universais que remontam aos primórdios da civilização. É um tema tão rico e há imensas oportunidades para explorar mundos e personagens fascinantes”, diz Kiefer.

“É uma forragem maravilhosa para uma série e, além disso, acho que é um tópico extremamente importante que só se tornará mais nos próximos anos.”

Fonte: https://www.hollywoodreporter.com/

Kiefer foi representado no negócio por seu advogado Eric Spiegelman. O recurso psicodélico marcou a segunda matéria de destaque do nativo de Angeleno para a Los Angeles Magazine em 2012.

Estudo sobre cogumelo magico sugere que psilocibina pode reverter danos cerebrais causados pelo alcool

Estudo sobre cogumelo magico sugere que psilocibina pode reverter danos cerebrais causados pelo alcool

O estudo, publicado quarta-feira na revista Science Advances , baseia-se no trabalho iniciado no final da década de 1950, quando os pesquisadores Humphry Osmond e Abram Hoffer , dois primeiros pesquisadores do LSD, deram a droga a alcoólatras e descobriram que um ano depois, 40 a 45 por cento dos alcoólatras que receberam a droga ainda estavam sóbrios; um feito notável para uma condição com altas taxas de recaída.

O consumo de bebidas alcoólicas é responsável por 5,3% das mortes em todo o mundo a cada ano, e tratamentos que reduzem ou eliminam o desejo por álcool são desesperadamente necessários.

No novo estudo, os pesquisadores explicam por que essas drogas funcionam no nível neurobiológico, identificando um receptor de glutamato específico nas células cerebrais afetadas pelo uso de álcool – quando esse receptor é danificado, tem um efeito prejudicial na função cerebral. Quando tratados com psilocibina, no entanto, os camundongos usados ​​para imitar o transtorno por uso de álcool mostraram a função reparada do receptor de glutamato. Além disso, os pesquisadores identificaram um biomarcador no estudo que pode ajudar os médicos a determinar quem pode se beneficiar mais do tratamento com psilocibina em humanos.

Para entender as descobertas do novo estudo, precisamos ampliar a neurobiologia que é seu foco. No cérebro, uma região chamada córtex pré-frontal é responsável por funções de controle cognitivo como atenção, controle de impulsos e flexibilidade cognitiva. Pesquisas anteriores demonstram que os neurônios do córtex pré-frontal são especialmente vulneráveis ​​aos efeitos negativos do uso crônico e intermitente de álcool.

Marcus Meinhardt, coautor do novo estudo, diz que, no passado, sua equipe identificou um tipo específico de receptor de glutamato afetado pelo etanol, basicamente álcool puro. Este receptor é chamado de receptor metabotrópico de glutamato subtipo 2, ou mGluR2 abreviado.

O glutamato desempenha um papel essencial na manutenção da função cerebral, portanto, quando os receptores de glutamato são danificados, o trabalho do neurotransmissor dá errado. Para piorar as coisas, o álcool suprime a produção de glutamato, então há menos neurotransmissor para circular também.

Meinhardt diz ao Inverse que isso sugere que a perda de mGluR2 “pode ser uma consequência importante da dependência de álcool e um mecanismo fisiopatológico chave que medeia o aumento da propensão à recaída”.

Estudo sobre cogumelo magico sugere que psilocibina pode reverter danos cerebrais causados pelo alcool

Embora o LSD e a psilocibina sejam drogas diferentes, eles funcionam de maneira muito semelhante no cérebro: ambos são “ psicodélicos serotoninérgicos ”; o que significa que eles têm como alvo um receptor específico de serotonina no cérebro. Estudos anteriores mostraram que esse receptor de serotonina e o mGluR2 podem modular as funções um do outro, levando os pesquisadores a supor que a psilocibina pode atuar no mGluR2.

O QUE ELES FIZERAM - No novo estudo, Meinhardt e seus colegas expuseram camundongos ao vapor de álcool para intoxicá-los a níveis semelhantes aos de pessoas com transtorno crônico de uso de álcool por sete semanas. Durante esse período, os pesquisadores monitoraram o comportamento dos camundongos, bem como as mudanças moleculares em seus cérebros.

Eles então separaram os camundongos dependentes de álcool em três grupos e, em seguida, deram psilocibina a dois grupos:

  • Dose mais baixa de psilocibina
  • Dose mais alta de psilocibina
  • Grupo de controle

O QUE ELES DESCOBRIRAM — Conforme a hipótese, a expressão de mGluR2 foi reduzida nos cérebros de camundongos dependentes de álcool. Essa redução foi consistente com a função executiva mais baixa e aumento do desejo por álcool.

Em outras palavras, tornar-se dependente do álcool resultou em mudanças no cérebro dos camundongos – especificamente na expressão de mGluR2 – e fez com que os camundongos desejassem mais álcool e menos capazes de resistir ao álcool (além de uma redução em outras funções executivas).

As pessoas que estudam o vício em álcool costumam chamá-lo de “progressivo”; sem intervenção, o transtorno por uso de álcool pode piorar com o tempo. Os cérebros desses camundongos dependentes de álcool podem ilustrar precisamente por que isso acontece, revelando como as funções executivas – como autocontrole, regulação emocional, memória, tomada de decisões e flexibilidade cognitiva – são corroídas pelo abuso crônico de álcool.

Isso está em sintonia com as características definidoras do transtorno por uso de álcool, diz Meinhardt: um padrão de uso compulsivo de álcool e perda de controle sobre a ingestão de álcool, bem como “déficits nas funções executivas”.

Mas aqui é onde fica esperançoso e emocionante: em ambos os grupos de camundongos que receberam psilocibina, a expressão de mGluR2 foi restaurada após o tratamento. Essa mudança também foi evidente no comportamento dos camundongos: o grupo da psilocibina recaiu cerca de 45% menos em comparação com os camundongos de controle.

Esse resultado reflete o que os pesquisadores do LSD encontraram na década de 1950. Após uma dose de LSD – um composto estrutural e funcionalmente muito semelhante à psilocibina – 40 a 45 por cento dos alcoólatras ainda estavam abstinentes um ano depois.

Fonte: inverse.com

Efeitos antidepressivos e ansiolíticos da ayahuasca

afeitos antidepressivos ayahuasca

Quinhentos e quatorze estudos foram identificados, dos quais 21 atenderam aos critérios estabelecidos. Estudos em animais mostraram efeitos ansiolíticos e antidepressivos da ayahuasca, harmina e harmalina, e estudos experimentais em humanos e avaliações de saúde mental de consumidores experientes de ayahuasca também sugerem que a ayahuasca está associada a reduções na ansiedade e sintomas depressivos. Um estudo piloto relatou efeitos antidepressivos rápidos de uma dose única de ayahuasca em seis pacientes com depressão recorrente.

Os dados para esta revisão sistemática e formulação deste artigo foram coletados de acordo com as diretrizes Preferred Reporting Items for Systematic Reviews and Meta-Analyses (PRISMA; www.prisma-statement.org/usage.htm).

As bases de dados eletrônicas PubMed (1 de janeiro de 1966 a 3 de abril de 2015), LILACS (1 de janeiro de 1982 a 3 de abril de 2015) e SciELO (1 de janeiro de 1998 a 3 de abril de 2015) foram pesquisadas.

Foram utilizadas as seguintes palavras-chave: ayahuasca, ayahuasca concentrada, ayahuasca pura da Amazônia, dimetiltriptamina,harmina, tetrahidroharmina, harmalina, ansiedade, ansiogênico, ansiolítico, depressão, depressivo, antidepressivo.

As referências foram recuperadas por meio de busca nas bases de dados eletrônicas acima mencionadas e busca manual de listas de referências da literatura identificada. Todos os estudos publicados até 3 de abril de 2015, sem restrição de idioma, foram incluídos.

Foram incluídos artigos de periódicos, resumos, cartas, resumos de conferências, livros e capítulos de livros. Relatos de casos, comentários e editoriais foram excluídos.

A busca na literatura rendeu 514 referências separadas. Devido à sobreposição de cobertura entre as bases de dados, quatro das referências foram encontradas duplicadas. Um total de 510 citações foram revisadas para triagem de resumos (primeira passagem). Após esta passagem, foram identificadas 21 referências potencialmente relevantes. Relatórios de texto completo dessas citações foram obtidos para uma avaliação mais detalhada. Após um exame detalhado dos relatórios, todas as 21 citações foram incluídas.

Os estudos foram classificados de acordo com a espécie (animal, humana), composto (ayahuasca, DMT, harmina, THH, harmalina) e comportamento/sintoma (ansiolítico, antidepressivo) avaliado. As publicações incluídas incluíram 10 estudos em animais (dois sobre o efeito ansiolítico da harmalina, nove sobre o efeito antidepressivo da harmalina e um sobre o efeito antidepressivo da ayahuasca) e 11 estudos humanos (três estudos experimentais, sete estudos observacionais e um ensaio clínico ).

Efeitos antidepressivos da ayahuasca

Um estudo em ratos mostrou que a ayahuasca administrada por via oral (5 mg/kg) diminuiu o tempo de imobilidade no FST. Doses menores (2,5 mg/kg) e maiores (10 mg/kg) não produziram efeitos significativos, e o número de mergulhos não foi alterado pela administração de ayahuasca.

Estudos humanos

Relaxamento e aumento do humor positivo após a administração de DMT Em um estudo aberto envolvendo a administração intramuscular de 0,7 mg/kg de DMT a 15 voluntários saudáveis, 93% dos participantes relataram sentimentos de relaxamento.

Um estudo duplo-cego, controlado por placebo, randomizado envolvendo a administração de quatro doses intravenosas de DMT (0,04-0,4 mg/kg) a 15 voluntários saudáveis ​​relatou que doses não alucinógenas de DMT (0,05 mg/kg) produziram relaxamento em um certo grupo de participantes.

Um estudo que avaliou os efeitos do DMT oral e fumado (25 mg) em seis voluntários saudáveis ​​relatou que, embora o DMT oral não produzisse efeitos psicoativos, o DMT fumado era totalmente psicoativo e aumentava o humor positivo.

Avaliação da saúde mental de consumidores de ayahuasca

Em um estudo com consumidores iniciantes de ayahuasca, 28 voluntários foram avaliados 1-4 dias antes e 1-2 semanas após sua primeira participação em um ritual de ayahuasca nas religiões Santo Daime ou União do Vegetal.

O consumo de ayahuasca foi associado à redução dos sintomas psiquiátricos e aumento da serenidade e tranquilidade. Em um estudo de acompanhamento realizado após 6 meses com 23 dos 28 voluntários iniciais, o uso de ayahuasca foi associado à redução dos sintomas psiquiátricos, melhora da saúde mental, confiança e otimismo.

Um estudo avaliou sintomas psiquiátricos e funções neurocognitivas em 15 membros experientes (pelo menos 10 anos de uso contínuo) da religião União do Vegetal e relataram ausência de problemas de saúde mental ou cognitivos.

Em vez disso, os consumidores de ayahuasca apresentaram psicopatologia reduzida, que incluiu uma redução nos sintomas de ansiedade e depressão. A redução dos sintomas de ansiedade e depressão também foi observada em outros estudos.

Em um estudo que avaliou sintomas psiquiátricos em 40 adolescentes (15-19 anos) membros da União do Vegetal que consumiram ayahuasca pelo menos 24 vezes nos últimos 2 anos, o grupo de usuário de ayahuasca teve uma incidência reduzida de sintomas de ansiedade quando comparado a um grupo controle não-usuário de ayahuasca.

Além disso, um estudo com 32 membros norte-americanos do Santo Daime de longa duração (vida 269±314,7 cerimônias; intervalo, 20-1300) relatou que o uso da ayahuasca estava associado à redução dos sintomas de ansiedade e depressão.

Em um estudo realizado com 127 membros de longo prazo (pelo menos 15 anos de uso contínuo) do Santo Daime e da Barquinha , que incluiu um acompanhamento de 1 ano, o uso da ayahuasca não foi associado a nenhum sintoma psiquiátrico, e os participantes da religião apresentaram melhores resultados neuropsicológicos desempenho e psicopatologia reduzida, incluindo sintomas relacionados à ansiedade e depressão.

Os efeitos da ayahuasca em medidas psicométricas de ansiedade, pânico e desesperança foram avaliados em membros experientes (pelo menos 10 anos de uso contínuo) do Santo Daime durante um de seus rituais (“oração”). Os questionários foram administrados 1 hora após a ingestão de ayahuasca em um projeto duplo-cego, controlado por placebo. Os participantes mostraram sintomas reduzidos de pânico e desesperança após a ingestão de ayahuasca, e a ayahuasca não modificou o estado ou o traço de ansiedade.

Testes clínicos

Um grupo realizou o primeiro ensaio clínico envolvendo a administração de ayahuasca em pacientes com depressão recorrente.

Uma única dose de ayahuasca foi administrada a seis voluntários com episódio depressivo atual em um ensaio aberto realizado em uma unidade de internação psiquiátrica. A administração de ayahuasca reduziu significativamente os sintomas depressivos desde a linha de base 1, 7 e 21 dias após a ingestão do medicamento, de acordo com a Escala de Avaliação de Hamilton para Depressão (HAM-D), a Escala de Avaliação de Depressão de Montgomery-Åsberg (MADRS) e a subescala de Depressão Ansiosa da Escala de Avaliação Psiquiátrica Breve (BPRS). Esses resultados sugerem efeitos ansiolíticos e antidepressivos de ação rápida da ayahuasca em pacientes com transtorno depressivo.

Conclusão

Pesquisa realizada com consumidores de ayahuasca nos últimos 20 anos mostra que os usuários dessa substância não apresentam sintomas de transtornos psiquiátricos ou problemas neurocognitivos, mas apresentam função cognitiva normal ou melhor, aumento do bem-estar e espiritualidade e redução da psicopatologia, incluindo ansiedade e sintomas de depressão.

Além disso, a administração de DMT a voluntários saudáveis ​​sugere que esta triptamina pode ter propriedades ansiolíticas.

Em relação ao DMT, há evidências de que os agonistas do receptor 5-HT modulam o processamento emocional, reduzem a ansiedade e os sintomas depressivos e aumentam o humor positivo.

Curiosamente, a expressão cortical do receptor 5-HT é alterada em amostras post-mortem de pacientes deprimidos.

Outros agonistas do receptor 5-HT, como psilocibina dos cogumelos mágicos e dietilamida do ácido lisérgico (LSD), também produzem reduções na ansiedade e sintomas depressivos e aumento no humor positivo. Em meados dos anos 1950 e 1960, vários estudos investigaram o potencial uso terapêutico da psilocibina e do LSD no tratamento de distúrbios como neuroses e TOCs, e como terapia adjuvante em doentes terminais.

No entanto, uma conclusão definitiva sobre os potenciais efeitos benéficos desses compostos não pode ser extraída de investigações anteriores, uma vez que muitos desses estudos tiveram importantes limitações metodológicas, como a falta de um grupo controle ou randomização, ausência de projetos duplo-cegos/controlados por placebo e dados de acompanhamento limitados.

Fonte: Associação Brasileira de Psiquiatria

A ayahuasca melhora a autopercepção do desempenho de falar em público em pessoas com ansiedade social, de acordo com um estudo preliminar

A ayahuasca melhora a autopercepção do desempenho de falar em público em pessoas com ansiedade social, de acordo com um estudo preliminar
Voluntários que ingeriram substância psicoativa feita a partir de plantas amazônicas melhoraram sua autopercepção em situação de ansiedade social ; ayahuasca ainda não é recomendada para tratamento.

Você já parou para pensar em quantas situações você encontra diariamente que envolvem interação com outras pessoas? Pode parecer simples, mas pedir uma refeição ou mesmo conversar em uma festa pode causar ansiedade e paralisar as pessoas que sofrem de Transtorno de Ansiedade Social. Em situações que envolvem relacionamentos humanos, a doença pode se manifestar como sudorese excessiva, taquicardia, boca seca, tremor e até tensão muscular.

Em busca de novas formas de tratar a ansiedade social, além da psicoterapia e dos antidepressivos, pesquisadores da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da Universidade de São Paulo (USP) concluíram um estudo, e os resultados preliminares foram positivos na automedicação. percepção de desempenho ao falar em público sobre o uso da ayahuasca, substância psicoativa feita a partir de plantas amazônicas.

Participaram do estudo 17 voluntários, que receberam informações sobre o estudo e ayahuasca, realizaram um teste de avaliação de ansiedade social e participaram de uma entrevista individual para confirmação do diagnóstico de transtorno. Após a seleção, os participantes foram divididos em dois grupos: um que recebeu placebo e outro que consumiu a substância pela primeira vez na vida.

Antes e após 5 horas da ingestão da substância, os dois grupos passaram por um teste de simulação de interação social. A experiência consistiu em uma apresentação pré-planejada em frente a uma tela com registro de atividades, seguida de um questionário que avaliou a autopercepção e o nível de ansiedade em ambas as apresentações.

Ou seja, eles se sentiram mais seguros e capazes de entregar a apresentação do ponto de vista cognitivo", explica Rafael Guimarães do Santos, principal autor do estudo, além de pós-doutorando em Saúde Mental.

Este é o primeiro estudo científico da substância realizado em pessoas que sofrem de Transtorno de Ansiedade Social. Novos estudos ainda são necessários para confirmar a segurança da ayahuasca e, por isso, não pode ser recomendada como tratamento, mas o uso sem recomendação tem crescido. "Embora este seja um estudo pequeno, ele abre as portas para futuras terapias". No entanto, é fundamental lembrar que este é um estudo preliminar e que ainda devemos avaliar a segurança, em quantidades pequenas como na microdosagem torna-se mais seguro o primeiro contato e tem se tornado comum pessoas procurarem ayahuasca microdosagem comprar online. Além disso, o medicamento não é aprovado no Brasil e os testes foram realizados em ambiente controlado com supervisão médica”, observa a empresa.

O estudo Ayahuasca Melhora a Autopercepção do Desempenho da Fala em Sujeitos com Transtorno de Ansiedade Social foi publicado no Journal of Clinical Psychopathology e contou com orientações do professor da FMRP Jaime Eduardo Cecilio Hallak.Além da participação da professora da FMRP Flávia de Lima Osório.

Os Efeitos da Ayahuasca

A ayahuasca é uma substância psicoativa feita a partir das folhas da planta conhecida como chacrona, Psychotria viridis, e da casca do cipó conhecida como mariri, Banisteriopsis caapi, substâncias que podem produzir intensas alterações nas percepções, emoções e consciência, explica.

No Brasil, a combinação das duas plantas é utilizada em rituais religiosos em comunidades indígenas e em religiões sincréticas brasileiras como o Santo Daime e a Barquinha, que teve origem no Acre, e a União do Vegetal, que foi fundada em Rondônia.

Segundo Santos, os ingredientes ativos da ayahuasca atuam nos receptores de serotonina, que estão ligados à ansiedade, medo, depressão, sono e percepção da dor. Esses receptores são encontrados em áreas do cérebro envolvidas no processamento de emoções e cognição social, que são aspectos de como os humanos interagem uns com os outros.